quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

A convecção no manto terrestre e o movimento das placas litosféricas


A Terra é uma máquina térmica devido à presença de materiais a elevadas temperaturas no seu interior. Muito deste calor é libertado para o exterior através de movimentos convectivos, sob a forma de materiais a elevadas temperaturas e pouco densos que ascendem, como por exemplo, no eixo das dorsais oceânicas.
            
        Nesse processo de transferência de calor interno da Terra para a superfície intervêm dois processos: Condução litosféricas, e a convecção.
Este primeiro processo é o mecanismo pelo qual o calor é transferido na litosfera, sendo o calor transmitido de zonas de temperatura mais elevada para zonas de temperatura mais baixa.
O segundo processo ocorre quando um fluido quente se dilata, este reduz a densidade e ascende por ser menos denso que o meio envolvente.

      Em 1928, Arthur Holmes foi um dos primeiros investigadores que sugeriu que o mecanismo de convecção térmica ao nível do manto poderia ser o motor da deriva proposta por Wegener.


Segundo ele, a mobilidade da litosfera seria devido à existência de convecção mantélica organizada em células.
  1. Ramo ascendente - existia a libertação de calor por subida de material de origem profunda (elevadas temperaturas).
  2. Ramo descendente - ocorria a destruição de material litosférico.

         Actualmente existem outros modelos, mas é consensual a existência de células de convecção no manto terrestre, sendo, considerado que a explicação da dinâmica convectiva é muito complexa.Com o auxilio de dados da Geologia, da Tectónica e da Geofísica obtidos através do estudo da propagação das ondas sísmica permitem avançar hipóteses sobre a dinâmica do manto e aperfeiçoar as actuais propostas de modelos de circulação convectiva. 


Circulação convectiva a dois níveis

















Circulação convectiva a um nível

Convecção penetrativo
 





















Fontes:
FÉLIX, José Mário; SENGO, Isabel Cristina; CHAVES, Rosário Bastos, Geologia 12, 1ºedição, Porto Editora, 2010

Sem comentários:

Enviar um comentário